A fotografia começou por ser uma forma de memorizar o que a memória não conseguia, passou a ser objeto de estudo desde 1999 no Instituto Português de Fotografia e na Escola Superior de Música Artes e Espetáculo, na licenciatura em TCAV e onde me apaixonou o Cinema. Realizei o primeiro filme "Reservado" em 2008 .
Ocupei uma pequena sala na Fábrica da Rua da Alegria até 2016 enquanto fazia fotografia de cena para companhias de teatro no Porto, e colaborava em projetos comunitários enquanto fotografa e videasta...
Neste percurso a ligação ao ensino esteve sempre presente com a orientação de disciplinas no IPF Porto e na ESMAE. Nesta ligação nasce o questionamento sobre a Arte, sobre o Ensino, sobre a Educação, sobre a Imagem. Criei o projeto Olhó Passarinho e voltei à pesquisa no Mestrado em Arte e Educação na Universidade Aberta sobre a Ação Gravar territórios .
Continuo a experimentar e a questionar, por vezes desanimada com o "Mundo de Pernas para o Ar", por vezes entusiasmada com a possibilidade de o poder virar ao contrário...
É com este entusiasmo que colaboro com o serviço Educativo do Museu do Douro, integro o coletivo Espaço Invisivel, continuo a experimentar sobre a imagem com Olhó Passarinho, colaboro com a Ready Mind [www.readymind.eu]  na criação de projeto ligados à sustentabilidade e partilho todas estas ideias no espaço OCO [www.oco.com]


Interessam-me os lugares, os encontros, as ideias...

Paula Preto
+
Submit
Thank you!
Back to Top